Recentes publicações

12.9.19

Grupo de amigos instrumentistas faz miniconcertos para pacientes internados em Araraquara

Música humaniza local e melhora níveis de depressão e ansiedade, diz psicólogo hospitalar.

10/09/2019 | Por EPTV2, com edição do CCBN

Instrumentistas fazem miniconcertos em hospitais para ajudar pacientes em Araraquara

O grupo instrumental Haja Paz, formado por músicos que tocam na Congregação Cristã no Brasil, resolveu usar o talento musical para levar conforto a pacientes internados em um hospital de Araraquara (SP).

Os amigos músicos apresentam miniconcertos voluntariamente de duas a três vezes por mês, com intuito de levar um pouco de bem-estar aos pacientes do Hospital São Paulo.

A música nos corredores do hospital envolve acompanhantes e pacientes que aos poucos saem nas portas dos quartos para acompanhar a apresentação.

Grupo de amigos faz trabalho voluntário levando música para pacientes de hospital de Araraquara. — Foto: Reginaldo dos Santos/EPTV

Recuperação mais leve

Segundo o psicólogo hospitalar Lucas Gonçalves Perches, o som calmante deixa a recuperação mais leve.

“A música traz um pouco de humanização e transformando esse lugar, que para muita gente é aversivo, um pouco mais agradável. Melhora os níveis de ansiedade e depressão que às vezes a gente encontra por aqui”, afirmou.

O repertório é tocado por um conjunto formado por violoncelo, violino, viola de arco, flauta e clarinete. Por cerca de uma hora, os músicos passam pelos espaços comuns do hospital e mesmo quem não pode ir até o corredor se beneficia com o som calmante e relaxante.

Há dois anos frequentando o hospital para cuidar do marido, a dona de casa Dalva Ferreira Luiz diz que a rotina fica mais amena com a música.

“Faz bem para a alma, tira o estresse, a ansiedade. O dia a dia é muito cansativo e [a música] ajuda, fortalece, conforta bastante”, disse.

Grupo de instrumentistas toca voluntariamente algumas vezes por mês para pacientes de hospital. — Foto: Reginaldo dos Santos/EPTV

O grupo pretende expandir a ação para outros hospitais e asilos da cidade.

“Reunimos seis, sete amigos e decidimos fazer esse trabalho social porque a gente sabe que é muito importante, traz conforto para o pessoal que está internado e para os funcionários também. É muito gratificante para a gente fazer esse tipo de trabalho”, afirmou o músico Thiago Stain.

8.9.19

Inaugurada a nova central de Torre de Pedra


Dia 07/09/2019 foi inaugurada a nova casa de oração da Congregação Central de Torre de Pedra/SP, com capacidade para 300 pessoas. Essa cidade é um das menores do Estado do São Paulo (cerca de 4 mil pessoas), com uma peculiaridade: a população evangélica gira em torno de 90 por cento.

19.8.19

Paciente de Hospital Estadual de Goiânia é batizado durante internação

MATEUS CARDOSO

DCM


GOIÂNIA - O Hospital Estadual de Urgências da Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), unidade da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES), foi palco de uma cerimônia de fé e espiritualidade, possibilitando o batismo em imersão total em águas do paciente Lucas Vinícius Silva. A ação, realizada pela primeira vez na unidade, ocorreu na própria enfermaria em que o paciente está devido à sua condição clínica, após análise e validação de uma equipe multidisciplinar e do Serviço de Controle de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde – SCIrAS do Hugol. 

“Esse batizado foi uma experiência única para mim e o Lucas, e agora estou revigorada. Eu já tinha ouvido falar dessa cerimônia em outros hospitais, mas não sabia se seria possível realizá-la aqui no Hugol e, quando conversei com a equipe assistencial, todos eles fizeram o possível para que se concretizasse. É muito bom estar em um lugar em que nossa fé é respeitada e só tenho a agradecer a todos e a Deus acima de tudo”, relatou Wanessa Francisca Vieira, mãe do paciente.

O ato religioso foi realizado pela Congregação Cristã no Brasil e um de seus membros, Evangelista Diniz, explicou a relevância dessa ação: “Aqui no hospital é feito um tratamento muito especial para salvar o corpo do Lucas, então viemos aqui para tratar da alma dele, que é sua espiritualidade. Este é um trabalho ao qual o Hugol abriu as portas e estamos muito agradecidos por estar aqui, pois acreditamos que trazer a palavra de Deus também é essencial para o bem-estar do paciente”.

O apoio à fé e à prática religiosa dos pacientes fazem parte das ações de humanização da unidade e a psicóloga do hospital, Luciana Mendonça, explicou a importância da ação no tratamento: “O atendimento da equipe multiprofissional no HUGOL vai muito além do bem-estar físico. Acreditamos que o ser humano não é só um corpo físico, então cuidamos da parte biológica, psicológica, social e espiritual. Antes, durante e após a cerimônia de batizado foi possível ver, de uma forma muito clara, o impacto positivo no paciente e em seus familiares, repercutindo até na própria equipe da unidade”.

17.8.19

Para 'driblar' a depressão, músico faz lindas esculturas em grafite de lápis

Rotniel também escreveu um livro, ainda inédito. Em Fátima do Sul (MS), ele é chefe dos Correios.

15 Ago 2019 - ROGÉRIO SANCHES / FÁTIMA NEWS, com edição do CCBN

Para 'driblar' a depressão, Rotniel faz lindas esculturas em grafite de lápis em Fátima do Sul

FÁTIMA DO SUL - Após ser diagnosticado com transtorno bipolar e depressão, Rotniel Correia resolveu fazer esculturas em grafite de lápis para ocupar a mente. São lindas esculturas que chamam a atenção de todos.

Rotniel é músico na Congregação Cristã no Brasil e chefe da unidade dos Correios no município de Fátima do Sul (MS). Segundo ele, muitas coisas passam pela mente, antes já passavam e parece que depois que falam o diagnóstico, o problema se agrava.

Ao Fátima News, Rotniel relatou que os pensamentos surgem como uma enxurrada de problemas, que na maioria das vezes nem são seus, mas que atormentam. “Colegas, amigos, livros, todos te dão uma lição de como pensar positivo”, conta ele.

“E para ocupar a mente precisamos de algo para fazer, e o que tenho feito? Bem, escrevi um pequeno livro (ainda a ser publicado) sobre motivação e crescimento pessoal e profissional, mas ainda precisava ocupar minha mente para parar de pensar tão negativamente, por isso comecei a fazer esculturas em grafite de lápis, quando estou para baixo procuro lembrar de algo a ser esculpido e vamos lá”, finalizou Rotniel.

VEJA FOTOS ABAIXO

Foto: Fátima News

Foto: Fátima News

Foto: Divulgação / Fátima News

10.8.19

Músico se enrosca em rede durante pescaria e desaparece no Rio Taquari

Equipes do Corpo de Bombeiros fazem buscas pelo rapaz que desapareceu na quarta-feira à noite

Viviane Oliveira, no Campo Grande News, com copidesque do CCBN

Bombeiros fazem por buscar por rapaz desaparecido em rio (Foto: Maikon Leal)

09/08/2019 | Equipe do Corpo de Bombeiros faz buscas por Wendel Silva Alves, de 21 anos, que desapareceu na noite de quarta-feira (7), após sair para pescar com dois amigos, na região onde o córrego Fortaleza deságua no Rio Taquari, em Coxim (MS), distante 260 quilômetros de Campo Grande (MS).

Wendel trabalha no frigorífico JBS, ministra aula de música e, aos finais de semana, toca no culto de jovens da Congregação Cristã no Brasil. Ele saiu de casa para pescar com os amigos Anderson Damião Franco Silva, de 30 anos, e Valderley da Silva Sampaio, de 35 anos.

Ao site Coxim Agora, Anderson contou que os três foram para o rio utilizando barco e rede na modalidade arrastão. De acordo com a testemunha, por não saber nadar, Valderley ficou no barranco às margens do rio. Enquanto isso, Wendel, que também não sabia nadar, pegou uma ponta da rede e foi até o meio do rio, que não estava muito cheio.
 
Wendel Alves da Silva desapareceu nas águas do Rio Taquari (Foto: reprodução/Idest)

Ainda conforme Anderson, no momento em que a rede era manuseada, sentiu um puxão. Na sequência, escutou Wendel enroscado na rede pedir por socorro. Apesar da escuridão, ele foi em direção ao colega e tentou ajudá-lo, porém, o jovem se afogou e acabou desaparecendo nas águas, por volta das 20h.

Em choque, Anderson e Valderley ainda fizeram buscas pelo colega, mas sem sucesso. O que chamou atenção da polícia e da família foi que os dois só contaram sobre o fato na tarde de ontem (8), deixando os familiares apreensivos com o sumiço de Wendel. Os petrechos que os três utilizam no momento do acidente foram apreendidos. O caso é investigado pela 1ª Delegacia de Polícia Civil do município.