Recentes publicações

16.6.18

Fotógrafa retrata mulheres da Congregação Cristã no Brasil

POR NATHALIA ZACCARO com edição de Rubens Oficial

15.06.2018 - Luisa Dörr estava se firmando como fotógrafa no Brasil, depois de emplacar alguns trabalhos na Ásia, quando cruzou com Maysa Leite, então com 11 anos, em um concurso de Miss Brasil Infantil, em São Paulo. Naquele dia, em abril de 2014, ela fez o primeiro de uma série de sensíveis retratos que marcam a trajetória de Maysa em busca do sonho de se tornar uma miss — e que segue até hoje.

"É um projeto sobre raça, gênero, sexismo e inclusão social", explica Luisa. Em 2017, as fotos de Maysa foram descobertas pela produção do programa do Gugu, que contou a história da garota ao vivo na Record, descolou para ela um contrato com uma agência de modelos e se comprometeu a pagar seus estudos. Para Luisa, 29 anos, a parceria com Maysa também trouxe reconhecimento.

No ano passado, Kira Pollack, diretora de arte da revista Time, cruzou com uma foto de Maysa do feed do Instagram da fotógrafa. “Havia incontáveis imagens de mulheres em paisagens etéreas, porém cruas. Luz natural, lindos tons, fotos incrivelmente consistentes”, escreveu Kira sobre a brasileira.

Luisa foi convocada então para o projeto Firsts, que clica pioneiras. Hillary Clinton, Ellen DeGeneres, Oprah Winfrey, Serena Williams e Shonda Rhimes estavam entre as homenageadas. Em setembro do ano passado, a revista publicou 12 capas diferentes a partir do projeto, todas estampadas pelos cliques assinados por Luisa. "Até hoje, sou mais contratada para trabalhar fora do país", conta.


As 12 capas da Time, todas clicadas pelo celular, assinadas pela gaúcha

Um detalhe fez barulho na época do lançamento das capas: todas as imagens foram feitas com iPhone. "Fotografar com o telefone não é mais fácil. É preciso pensar na foto da mesma forma, compor e pensar a luz. Me sinto mais leve, embora trabalhe com a câmera também. Depois da Time, mais publicações me permitiram usar o iPhone, e acho que isso é um bom sinal: deixar que o fotógrafo use o equipamento que quiser para contar a história."


Neste ano, a fotógrafa lançou a série Falleras. Luisa mergulhou no tradicional universo das mulheres e meninas que participam da gigante festa Las Fallas, que reúne anualmente 100 mil pessoas na cidade de Valência (Espanha). Contou histórias como a de Lola, uma garota etíope de 10 anos adotada por uma família espanhola e que participou do último concurso infantil do evento.

Foto do projeto Falleras, que registra a tradição da gigante festa espanhola

O fascínio de Luisa pelo feminino pode ser visto em vários de seus trabalhos. "Fico feliz em contar histórias de quem historicamente foi sub-representado." Desde 2016, ela toca o projeto #womantopography, em que retrata mulheres pelo mundo. "Não apenas suas marcas físicas, mas também os traços espirituais", conta.

Ela está trabalhando também na série The Bride’s Veil, em que fotografa as fiéis da Congregação Cristã no Brasil. "Sou de família evangélica e achava que sabia tudo sobre esse universo, até conhecer essa igreja, a mais ortodoxa em relação às mulheres." No futuro, pretende apontar suas lentes para as parteiras do litoral da Bahia, onde mora. "Quero contar nossas histórias."

Em The Bride’s Veil, Luisa investiga as cristãs ortodoxas do Brasil

25.7.17

Definido o horário do sepultamento do corpo de Genésio Cogo


Cassilândia - O corpo de Genésio Cogo será sepultado amanhã, às 7 horas, no cemitério municipal de Cassilândia. Ele faleceu na madrugada de hoje vítima de um infarto. Chegou a ser internado, mas não resistiu. Ele é Ancião da Congregação Cristã do Brasil e muito querido pela comunidade. Seu corpo está sendo velado na Câmara Municipal.

Era casado com a da. Zulmira e era pai de Leila (Feirão do Aluminio), Lislei e Lucinei (Conservatório Musical) e Ligia (in memorian). Era irmão do prefeito Jair Boni Cogo.

informações do Cassilandianews

6.7.17

Congregação em construção é furtada três vezes em Cajamar

Equipamentos e materiais da construção da Congregação Cristã no Brasil no bairro do Guaturinho, em Cajamar, foram furtados na última semana. A informação veio a publico após o furto de diversas ferramentas e materiais acontecer pela terceira vez desde o início das obras no local.

A obra, que fica na Rua Ver. Eurípedes Rama Pardal, abrigará a nova casa de oração do bairro e atualmente está em faze de acabamento.

No último furto os criminosos levaram toda a fiação elétrica da igreja que já estava instalada, escadas e diversos tipos de equipamentos como furadeira e serras, além de alguns materiais que seriam usados no decorrer da obra.

“É uma pena ter que lidar com situações deste tipo, uma vez que tudo o que foi adquirido para esta obra foi através de doações e equipamentos cedidos por nossos irmãos que aqui trabalham voluntariamente em benefício da obra de Deus” – informou um obreiro.

Sabendo dos furtos, alguns membros da CCB (Congregação Cristã no Brasil), na tentativa de evitar que novos furtos aconteçam, instalaram câmeras de segurança e alarme no local.

De Cajamar Notícias

Pianista Jay Bergamini se apresenta em Araçatuba

Ronaldo Ruiz Galdino, da Folha da Região (Araçatuba)

Com apresentação de peças de músicas eruditas do período barroco ao moderno, a pianista Jay Bergamini se apresentará no próximo sábado (8) em Araçatuba, no Teatro Municipal Paulo Alcides Jorge. O show tem como objetivo arrecadar fundos para a participação da artista em um festival de música em Portugal. 

Segundo Jay, a apresentação terá duração de aproximadamente uma hora. Além de executar as peças clássicas no piano, sem acompanhamento de outros instrumentos, a artista vai falar um pouco sobre as composições e explicar características dos períodos as quais elas pertencem. No repertório do espetáculo da pianista no município, estão obras de Edvang Grieg, Georg Friedrich Händel, Beethoven, Robert Schumman, Tristan Murail e J. Viera Brandão. 

Nascida em Adamantina (a cerca de 110 quilômetros de distância de Araçatuba), Jay está cursando o terceiro ano de bacharelado em piano na FAAM (Faculdade de Artes Alcântara Machado) em São Paulo. A pianista tem no currículo curso técnico de regência por dois anos na Escola Técnica Estadual de Artes de São Paulo e curso de canto e piano no Conservatório Villa-Lobos, em Adamantina. 

INTERESSE / Ela contou que o interesse pela música começou bem cedo, com apenas seis anos de idade, ao ouvir a orquestra da Congregação Cristã no Brasil nos cultos que ela frequentava. Conforme Jay, após perceber seu interesse pelos instrumentos, sua mãe a levou para uma escola de música, onde ela escolheu o piano. 

Jay participa regularmente de recitais de piano solo e também de música de câmara em formações como trio (flauta, piano e violino) e música vocal (duos e trios) com piano. Como cantora, a artista integrou o Coral da Cultura Inglesa de São Paulo e participou de concertos na Sala São Paulo com a Orquestra Sinfônica de Heliópolis.

4.12.16